João Pessoa, 13 de julho de 2024
  1. Início
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Vereador critica condições de ciclovias...
Vereador critica condições de ciclovias no Bairro das Indústrias
24.08.2023
Rafaela Cristofoli
Olenildo Nascimento

Marcos Henriques (PT) também reclamou do atendimento oferecido pelo BRB aos servidores municipais

Durante a sessão ordinária da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) desta quinta-feira (24), o vereador Marcos Henriques (PT) criticou as condições das ciclovias do Bairro das Indústrias e pediu providências à Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob). O parlamentar também reclamou do atendimento oferecido pelo Banco de Brasília (BRB), responsável pela folha de pagamento dos servidores municipais.

Marcos Henriques exibiu um vídeo enviado pelo ciclista André “Pirulito”, integrante do grupo Pedal Jampa, no qual ele se queixa da sinalização de uma ciclovia situada no Bairro das Indústrias. “O que percebemos é que não é uma ciclovia, porque nem tem sinalização luminosa, nem a faixa vermelha. Já recebi vários registros de acidentes no Bairro das Indústrias”, relatou o vereador.

O parlamentar informou que vai protocolar junto à Semob um pedido para que a ciclovia seja terminada. “O ciclismo está tomando conta dos bairros da cidade. Mas, percebo que em vários pontos a Prefeitura está fazendo um arremedo, que, em vez de ajudar, está prejudicando os ciclistas”, criticou.

O atendimento oferecido pelo BRB aos servidores municipais também foi condenado pelo vereador. Marcos Henriques exibiu um vídeo que registra a agência da Av. Epitácio Pessoa lotada. “A Prefeitura quebrou o contrato com o Bradesco e recebeu R$ 60 milhões do BRB, em acordos feitos no camarote do banco no Maracanã. Enquanto acordos são firmados em camarotes, vemos uma total falta de respeito com os clientes, os servidores. Me pergunto a troco de quê a Prefeitura troca um banco que tinha 18 agências na cidade por um que não tinha nenhuma, e agora tem quatro”, questionou.

O vereador também alertou que todos precisam ficar atentos às taxas de juros que serão cobradas pelo banco. “Não podemos admitir essas transações financeiras onde quem perde é o povo”, concluiu.

Marcos Henriques ainda informou que vai acompanhar as visitas de uma comissão do Ministério de Direitos Humanos a comunidades que estão em situação de vulnerabilidade social.

Compartilhe:
© Copyright 2023. Todos os Direitos Reservados.