João Pessoa, 13 de julho de 2024
  1. Início
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Vereadora pede mais amor e...
Vereadora pede mais amor e paz para as eleições
06.10.2022
Redação

Fabíola Rezende (PSB) defendeu a liberdade de expressão e de se posicionar politicamente sem prejuízos à religiosidade

Na sessão ordinária da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), desta quinta-feira (6), a vereadora Fabíola Rezende (PSB) usou a tribuna para defender a liberdade de expressão e de se posicionar politicamente sem prejuízos à sua religiosidade. Ao criticar políticos que não aceitam que cristãos sejam de esquerda pediu mais amor e paz para que as eleições terminem com menos ódio.

“Tenho me comportado nesta Casa de forma neutra. Mas hoje preciso me posicionar. Quando é uma questão de justiça, a gente precisa se pronunciar. Existe liberdade de expressão. Você pode votar em quem quiser. Você não pode ser atacado por dizer que é de esquerda e cristão. Onde está escrito que quem é de esquerda não pode ser cristão? A palavra de Deus diz: amai uns aos outros como eu vos amei. Acredito que a política deva ser feita de uma forma sem agressão.  É muito forte você agredir a religiosidade de alguém”, asseverou a vereadora.

Para ela, existe uma questão de ódio na conjuntura política do país porque ninguém está conseguindo se expressar politicamente com receio de represália por parte de adversários . “O que aprendi na igreja cristã foi que tu amas a teu próximo com a ti mesmo. Tenho seguidores que divergem da minha posição política, mas convivemos tranquilamente. Nunca fui atacada e nunca ataquei meus seguidores”, ressaltou.

A vereadora defendeu que é possível ser cristão e de esquerda ou direita, desde que os mandamentos de Deus de amar a ele e ao próximo sejam respeitados. Ela também pediu tolerância às opiniões divergentes e exigiu o fim do ódio, principalmente na área política. “Afinal de contas vivemos em uma democracia. Fico muito triste quando vejo políticos atacando as pessoas que têm seu livre arbítrio de votar em quem deseja. A palavra de Deus diz que toda autoridade na terra é constituída por ele. Se estamos aqui foi Deus quem nos colocou aqui. Ele é único e não faz distinção de filhos. Se for falar da palavra de Deus, está aqui a missionária. Religião e política têm sim a ver. Não foi à toa que Jesus Cristo foi torturado pelos romanos”, arguiu a vereadora que ainda completou: “Precisamos de mais amor e mais paz para que a gente termine essas eleições sem ódio no coração”.

Em aparte, os vereadores Marcílio do HBE (Patriota), Bruno Farias (Cidadania) e Rinaldo Maranhão (Solidariedade) enfatizaram que estavam no parlamento para discutir melhorias para a população da Capital paraibana, sem necessariamente se posicionar em torno de religião. Já o vereador Carlão ressaltou que o fundamento para ser cristão não é ser de esquerda, mas sim seguir a Cristo. Por sua vez, os vereadores Cris Furtado (PSB) e Junio Leandro (PDT) defenderam a liberdade de se posicionar politicamente sem que isso reverbere na sua religiosidade.

Compartilhe:
© Copyright 2023. Todos os Direitos Reservados.