João Pessoa, 13 de junho de 2024
  1. Início
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. Quadra de Manaíra: vereador critica...
Quadra de Manaíra: vereador critica intervenções na área
10.03.2022
Redação

Marcos Henriques (PT) afirmou que nenhum relatório técnico foi apresentado justificando a necessidade da obra

As obras iniciadas pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) na Quadra de Manaíra, situada na Avenida João Maurício, foram criticadas pelo vereador Marcos Henriques (PT), durante a sessão ordinária da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) desta quinta-feira (10). O parlamentar revelou que foi procurado por moradores da área, insatisfeitos com as intervenções.

“Fui procurado pelos moradores de Manaíra, que amanheceram na última segunda-feira (7) com um trator na praça para destruir o anfiteatro, que fica atrás da quadra, para passar uma via. Desde então começou uma luta em defesa dessa praça, que tem uma história e é utilizada pelas pessoas para fazer exercícios físicos e passear com seus animais”, revelou o vereador.

De acordo com o parlamentar, as obras foram iniciadas sem diálogo com a população e sem a apresentação de nenhum estudo técnico que fundamente a construção da via. “Embora não tenha sido apresentado nenhum modelo técnico para fundamentar a necessidade de abertura daquela via, as intervenções estão sendo feitas, de maneira irresponsável. A população está usufruindo daquele lugar há 50 anos e, na prática, o que estão fazendo é acabar com a praça, um equipamento importante para a cidade, de maneira covarde”, avaliou.

Marcos Henriques apresentou requerimento solicitando à Secretaria de Infraestrutura do Município que as obras fossem paralisadas, e fosse aberto diálogo com a população para chegar em um comum acordo. O pedido não foi acatado pela maioria dos parlamentares. “O que está em questão é que modelo de cidade nós queremos. Eu luto por uma cidade humanizada, onde não se privilegia o trânsito sem apresentar outras alternativas. Nós temos um espaço público pulsante naquele bairro, e o movimento daqueles moradores é legítimo”, concluiu.

Compartilhe:
© Copyright 2023. Todos os Direitos Reservados.