João Pessoa, 13 de julho de 2024
  1. Início
  2. /
  3. Notícias
  4. /
  5. CMJP aprova Voto de Aplauso...
CMJP aprova Voto de Aplauso a bombeira que salvou menina autista de queda de prédio
01.11.2022
Redação

O propositor da homenagem, vereador Coronel Sobreira (MDB), destacou que a homenageada agiu de forma destemida, determinada e heroica

Na manhã desta terça-feira (01), a Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) aprovou um Voto de Aplauso a Thallyta Kelciene dos Santos Alves, uma bombeira civil que amorteceu com seu próprio corpo a queda de uma criança de nove anos, portadora do transtorno do espectro autista, que caiu do terceiro andar de um apartamento no bairro dos Novais, fato ocorrido no dia 26 de outubro deste ano. O propositor da homenagem, vereador Coronel Sobreira (MDB), destacou que a homenageada agiu de forma destemida, determinada e heroica.

“De forma muito justa e merecida devemos reconhecer a ação meritória e destemida de Thallyta Kelciene. Ela foi usada por Deus para amparar a queda de uma criança de nove anos que caiu do terceiro andar de um prédio no Conjunto Juraci Palhano, no Bairro dos Novais. Vi a reportagem pela madrugada, em uma emissora nacional e na mesma hora pensei nesta homenagem para esta jovem tão destemida. Foi uma ação que poucos fariam”, asseverou o vereador.

Thallyta Kelciene dos Santos Alves estava na área de estacionamento do prédio onde mora quando ouviu uma voz de criança em um apartamento no terceiro andar. Ao ver a menina pendurada na janela, “deu dois passos” e levantou os braços para segurá-la. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado logo após a queda da criança e encaminhou a vítima para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, onde recebeu atendimento médico de emergência.

“No momento eu nem lembrei que estava operada, a reação foi mais de ‘levanta, vai, tenta segurar’. Quando eu estava sentada, que o síndico passou correndo, eu me assustei pela velocidade. Estava muito barulho por causa de uma carreata e me veio o pensamento ‘olha pra cima’. Quando eu olhei, ela já estava 100% para fora da residência. Só dei dois passos e meio e assim que levantei os braços ela caiu. O impacto foi em mim, mas no que ela bateu e que girou porque eu peguei no braço, ela caiu no chão quietinha e eu não percebi nada fraturado”, explicou Thallyta Kelciene.

Compartilhe:
© Copyright 2023. Todos os Direitos Reservados.