Presidente da CDL afirma que mais de 200 lojas fecharam no período da pandemia

por Damião Rodrigues — publicado 16/02/2021 13h40, última modificação 16/02/2021 13h40
Colaboradores: Fotos: Olenildo Nascimento
Os vereadores conversaram com o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de João Pessoa (CDL-JP), Nivaldo Vilar, durante visita ao Centro da cidade

Na manhã desta terça-feira (16) de Carnaval, no projeto Câmara Itinerante, os vereadores da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) ouviram as reivindicações dos comerciantes do Centro da capital paraibana e da população de forma geral. Os vereadores passaram pelas ruas das Trincheiras e Duque de Caxias, pelo Ponto de Cem Réis, na rua Padre Meira até chegar na 13 de Maio, onde fica a Câmara de Dirigentes Lojistas de João Pessoa (CDL-JP). Lá, o presidente da instituição, Nivaldo Vilar, afirmou em audiência com os vereadores, que mais de 200 lojas fecharam no período da pandemia.

Participaram da ação os vereadores Bosquinho (PV), Bruno Farias (Cidadania), Carlão Pelo Bem (Patriota), Coronel Sobreira (MDB), Damásio Franca (Progressistas), Odon Bezerra (Cidadania), Tarcísio Jardim (Patriota), Thiago Lucena (PRTB) e Zezinho Botafogo (Cidadania). Também estiveram da audiência, além do presidente da CDL, o representante do Conselho Fiscal da instituição, Josuel Gomes da Silva; e a presidente e o vice-presidente da Associação Comercial da Paraíba, Melca Farias e José Carneiro, respectivamente.

O presidente da CDL, Nivaldo Vilar, exaltou a ação da CMJP e destacou os principais problemas do comércio no Centro da cidade. “É uma atitude louvável esta da Câmara Itinerante. Eu tenho 32 anos de participação no movimento de dirigentes lojistas e nunca vi uma ação assim, em que os vereadores nos convidam para uma conversa e análise dos problemas que nos atingem para tentar resolver nossas questões. Neste período de pandemia, mais de 200 lojas fecharam em nossa cidade. Ano a ano, o Centro de João Pessoa tem perdido consumidores que deixam de visitar o Centro da cidade por esta e outras questões”, enfatizou o presidente.

Ele ainda acrescentou que os problemas no Centro de João Pessoa são muitos e vêm de longas datas. “Temos a questão dos ambulantes, que deveriam ser colocados em locais adequados para suas atividades. Eles estão aglomerados nas calçadas do Centro e isso dificulta a circulação de consumidores.. Há problemas para estacionar, falta de segurança, nossas calçadas precisam ser revitalizadas e padronizadas, como em outras avenidas importantes da cidade que ganharam tal serviço, em suma, o Centro precisa ser repaginado para se tornar mais atrativo”, elencou.

Josuel Gomes da Silva sugeriu a implantação de um Centro de Gastronomia na área para incentivar o turismo. “É importante porque é uma reivindicação nossa. Quandochega um ônibus de turismo aqui no centro, não tem onde estacionar. Ele vai para a Igreja de São Francisco para que o turista possa descer e conhecer o Centro. Aquela reforma na Lagoa era para ter deixado espaço para os ônibus de turismo pararem. Entrevistamos os candidatos a prefeito, inclusive o eleito, e apresentamos para ele uma lista com dez solicitações, que passam por essa parte de revitalizar o Centro, calçadas e os demais problemas como a falta de estacionamento e a insegurança. A Guarda Civil poderia estar mais presente”, indicou.

Melca Farias sugeriu a mudança na legislação municipal para permitir a construção de edifícios garagens possibilitando que a cidade fique mais atrativa aos compradores. “Solicito que vocês, nossos representantes, possam contribuir para tornar o Centro de nossa cidade mais atrativo, para garantir o desenvolvimento econômico da região”, finalizou.

Impressões dos vereadores

O vereador Damásio Franca sugeriu que através do Banco Cidadão da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), a Câmara faça uma intermediação para resolver a situação dos comerciantes do Centro da cidade. “Nós pudemos ver muitas lojas fechadas com a placa de aluga-se. Isso enfraquece o comércio local e leva ao trabalho informal. Então é uma problemática da cidade de João Pessoa e é muito importante essa ação da Câmara para escutar essas demandas que vamos abordar através de requerimentos, audiências públicas e seremos intermediários junto à Prefeitura para que se resolvam o quanto antes” afirmou.

Já o vereador Bruno Farias destacou que o papel da Câmara será apresentar uma série de alternativas para que o poder público possa sanar problemas reais do dia a dia dos pessoenses. “Muitos problemas graves vividos aqui no centro da cidade, de modo especial, além da mobilidade, da falta de estacionamento, é a ocupação irregular e desordenada dos passeios públicos. Como também a necessidade de preservação de prédios históricos, dando funcionalidade a esse imóvel oferecendo também vantagens para que comerciantes não cerrem as suas portas e fechem as suas atividades”, ressaltou. Ele ainda comentou que o país passa por um período de extrema dificuldade econômica e que o poder público tem que ser o mediador desses conflitos entre quem ocupa irregularmente o passeio público, aquele que está pagando impostos e quem precisa de um ‘empurrão’ para dar vitalidade à sua atividade econômica. “Isso aqui é um roteiro turístico a céu aberto. A prefeitura poderia investir em iniciativas do tipo ‘Conheça o Centro de João Pessoa a pé’, com guichês de informação turística”, sugeriu.

Os vereadores Odon Bezerra, Tarcísio Jardim, Carlão Pelo Bem e Bosquinho ressaltaram a importância da Câmara servir como intermediadora na solução dos problemas dos comerciantes do centro da cidade, tais como a falta de estacionamento, de iluminação e segurança. Também sugeriram a maior presença da Guarda Municipal na região, além do incentivo do Turismo Gourmet.