Vereador aborda segurança pública e desenvolvimento econômico em pronunciamento na CMJP

por Damião Rodrigues — publicado 25/11/2020 13h52, última modificação 25/11/2020 13h52
Colaboradores: Foto: Juliana Santos
Na sessão desta quarta-feira (25), Renato Martins (Avante) falou sobre videomonitoramento e geração de emprego e renda

Segurança pública e desenvolvimento econômico foram os temas do pronunciamento do vereador Renato Martins (Avante), na tribuna da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), na sessão ordinária desta quarta-feira (25). O parlamentar falou sobre videomonitoramento e geração de emprego e renda na Capital paraibana.

Demonstrando sua preocupação com a segurança pública, Renato Martins solicitou a efetivação de lei, de sua autoria, que criou o projeto de videomonitoramento de JP. Segundo ele, a matéria autoriza a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) a utilizar as câmeras de vídeos privadas, em áreas estratégicas da cidade, para monitoração, com a finalidade de coibir a violência e melhorar a fluidez do trânsito. “São ações ostensivas e preventivas, tendo todos os equipamentos ligados a centrais de segurança do município e do estado”, explicou. 

O parlamentar também abordou a geração de emprego e renda sobre o prisma do desenvolvimento econômico. “Precisamos pensar na geração de emprego e renda, numa perspectiva de gestão pública com cooperação internacional.  Uma série de fatores contribuem para o desemprego na cidade e precisam ser mensurados, para se ter uma visão geral sobre o desenvolvimento econômico do nosso município”, afirmou.

Para ele, o desenvolvimento econômico da cidade pode ser efetivado através do fortalecimento das áreas de Tecnologia, Economia Criativa e Turismo. “Através da utilização de energias renováveis, como a energia eólica, e da coleta seletiva, poderemos criar núcleos de desenvolvimento pela cidade, garantindo mais emprego e renda para a população”, sugeriu. 

De acordo o vereador, uma atenção direcionada à Tecnologia da Informação pode garantir o desenvolvimento econômico, porque a Capital tem atrativos nesta área, com duas importantes universidades, que podem atrair técnicos de todo país para efetivar grandes avanços no setor. 

Outra área apontada pelo parlamentar que pode contribuir com a economia e a geração de emprego e renda na cidade é o Turismo. “O Turismo Corporativo, Religioso e de Entretenimento e Lazer pode contribuir para economia da cidade. Existem muitas portas de entrada para o fortalecimento do Turismo Religioso em nossa cidade. Criei uma emenda que sugeriu a realização do Festival de Música Pop Rock Cristão, em novembro, para chamar a atenção do segmento dessa modalidade artística  para nossa Capital”, defendeu. 

“Já o Turismo Corporativo ou de Negócio pode trazer para a cidade os grandes encontros de profissionais. Isso vai possibilitar que os visitantes fiquem mais tempo em nossa cidade, contribuindo com nossa economia. O Turismo de Entretenimento e Lazer, com fortalecimento da nossa história e aperfeiçoamento dos nossos guias, taxistas, baristas e diversos profissionais ligados a essa área, também pode gerar o fortalecimento de nossa economia”, destacou. 

O vereador ainda defendeu a Economia Criativa como outro elemento-chave para a criação de emprego e renda, com base no elemento criativo, que, para ele, nunca será uma área subjugada pela tecnologia. “O processo criativo nunca vai prescindir da figura humana na criação. Poderemos desenvolver arte e cultura criando um grande celeiro de artistas na nossa cidade”, refletiu. 

A solidariedade como ponte de desenvolvimento na cidade 

“A solidariedade também pode ser uma ponte a ser fortalecida na luta pelo desenvolvimento social e econômico da cidade. Precisamos fortalecer a cultura da solidariedade, por agregar valor à sociedade. Poderíamos criar o Mapa da Solidariedade, para mapear as pessoas que se preocupam com o outro e contribuem com o desenvolvimento social da cidade. Também poderíamos implementar o Cartão da Solidariedade e incentivar a cooperação das universidades, com ações entre os estudantes, o Poder Público e a sociedade civil organizada. Todos sairão ganhando”, garantiu.